UGT condena violência contra trabalhadores em Brasília
Data: 25-05-2017

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) condena a violenta repressão contra uma marcha Histórica, que reuniu mais de 150 mil trabalhadores e trabalhadoras em Brasília, nessa quarta-feira (24 de maio), em protesto contra as Reformas Trabalhistas e Previdenciárias. A ação revelou o despreparo do Governo para manter um dialogo com os trabalhadores e a sociedade. Agentes infiltrados entre os trabalhadores, e um grupo de mascarados, serviu de argumento para que o Governo acionasse a Guarda Nacional e as Forças Armadas, transformando um protesto pacifico e legítimo em verdadeira praça de guerra. 

 A marcha, que reuniu trabalhadores de todo o País,saiu pacificamente das imediações do estádio Mané Garrincha e, quando chegou próxima do Congresso Nacional, a manifestação democrática e pacifica, foi recebida por uma Polícia despreparada que, provocada por agentes, infiltrados, identificados pelos trabalhadores como estranhos ao movimento, e um grupo de mascarados, reprimiu de forma violenta homens e mulheres que exerciam seu democrático direito de se protesto. 

A convocação da Guarda Nacional e das Forças Armadas pelo Governo, só piorou a situação, e transformou Brasília numa verdadeira praça de guerra. A violenta ação acabou com dezenas de feridos. A UGT e as demais centrais sindicais, não aceitam a violência como forma de intimidação e vão continuar exercendo seu direito de, em defesa dos interesses da classe trabalhadora, exigir o fim da corrupção e abertura de um dialogo com o movimento sindical e a sociedade, na discussão das reformas que se pretende implantar.

Boletim Eletrônico
Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber nossa newsletter.
Nome:
E-mail: