Janot denuncia Lula e Dilma por formação de quadrilha
Data: 06-09-2017

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta terça-feira (5) ao Supremo Tribunal Federal (STF) os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT) por formação de quadrilha para desviar recursos da Petrobras, do BNDES e do Ministério do Planejamento. Esses desvios renderam ao PT propina de R$ 1,48 bilhão, segundo a denúncia. O inquérito foi apelidado de “quadrilhão do PT” e é considerado a “investigação-mãe” da Lava Jato porque indica a chefia do esquema de corrupção. Lula é apontado por Janot como o líder da quadrilha. Dilma, segundo a denúncia, foi uma peça importante do esquema no início e, depois, já como presidente, deu continuidade à corrupção.

Na mesma denúncia, Janot também acusa de participarem da quadrilha os ex-ministros da Fazenda Antonio Palocci e Guido Mantega; a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e seu marido, o ex-ministro das Comunicações e do Planejamento Paulo Bernardo; e os ex-tesoureiros do partido João Vaccari e Edinho Silva, atual prefeito de Araraquara (SP).

“Pelo menos desde meados de 2002 até 12 de maio de 2016, os denunciados integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma Rousseff sucessivamente titularizaram a Presidência da República, para cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral”, escreveu Janot.

Janot destaca que, além do PT, “o núcleo político de referida organização era composto também” por integrantes do PMDB e do PP, “agentes públicos cujas condutas são objeto de outros inquéritos”. Na sexta-feira passada, Janot denunciou o “quadrilhão do PP”. O PMDB é alvo de dois inquéritos, um que apura a participação de deputados e outro de senadores no suposto esquema na Petrobras.

Segundo a denúncia, os denunciados no quadrilhão do PT permitiram que as organizações criminosas do PP e do PMDB recebessem propina, respectivamente, de R$ 390,8 milhões e R$ 1,2 bilhão. Como o dinheiro que abasteceu PT, PMDB e PP era pago por empreiteira que superfaturavam obras, o prejuízo foi maior do que esses valores. Apenas no caso da Petrobras, foi de R$ 29 bilhões.

“(...) Houve por parte dos integrantes do PT um papel mais relevante na organização no período de 2002 ao início de 2016, em razão da concentração de poderes no Chefe do Poder Executivo Federal [os ex-presidentes Lula e Dilma] no que tange às nomeações dos cargos públicos mais relevantes”, diz Janot na denúncia.

 

Boletim Eletrônico
Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber nossa newsletter.
Nome:
E-mail: